Direito, justiça e mito: uma leitura a partir de “O processo”, de F. Kafka

Autores

  • Daniel Acosta Yamauchi Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP
  • Ruth Faria da Costa Castanha Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP

DOI:

https://doi.org/10.21119/anamps.32.437-464

Palavras-chave:

direito, esquecimento, justiça, mito, Franz Kafka.

Resumo

O presente estudo tem como objetivo discutir a importância da literatura ao estudo do direito, sob a ótica da obra O processo, de Franz Kafka.  Este artigo procura investigar a forma sob a qual a poesia e o mito podem ser utilizados para uma reflexão acerca dos problemas vivenciados tanto pelos operadores do direito quanto por aqueles que, independentemente de sua vontade, ficam sujeitos à angústia causada pelos morosos e burocráticos processos judiciais – isso na melhor das hipóteses, quando não infligindo marcas sociais indeléveis que passam a acompanhar o indivíduo pelo resto de suas vidas. Ainda nesse escopo, o estudo pretende perquirir a relatividade do conceito de justiça como uma das causas relacionadas à estagnação do direito enquanto ciência jurídica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Acosta Yamauchi, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP

Mestrando em Filosofia e Teoria Geral do Direito na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP). Bolsista da CAPES

Ruth Faria da Costa Castanha, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP

Mestranda em Filosofia e Teoria Geral do Direito na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP). Bolsista da CAPES.

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. Trad. de Ivone Castilho Benedeti. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ALVES, Adamo; OLIVEIRA, Marcelo. Carl Schmitt, um teórico da exceção num estado de exceção. Revista Brasileira de Estudos Políticos, v. 105, p. 225-276, 2012. Disponível em: <http://www.pos.direito.ufmg.br/rbep/index.php/rbep/article/view/P.0034-7191.2012v105p225/187 >. Acesso em: 10 nov. 2017.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. São Paulo: Martin Claret, 2003.

AURÉLIO. Dicionário da língua portuguesa. 6. ed. Curitiba: Positivo, 2005.

BRASIL. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Agravo de Instrumento nº. 1001412- 0/0, Agravante: Isaias Gilberto Rodrigues Garcia. Agravado: Rodrigo da Silva Messias. 36ª Câmara (Ext. 2º TAC). Relator Palma Bisson, Marília, 19 jan. 2006. Disponível em: <https://www.conjur.com.br/2011-jun-24/desembargador-deixa-formalidade-lado-vota-marceneiro >. Acesso em: 10 nov. 2017.

BUENO, Roberto. O papel da literatura na reconstrução das subjetividades. Marília: Em Tempo, v. 10, 2011.

CUNHA, Paulo F. Anti-Leviatã: direito, política e sagrado. Porto Alegre: SAFE, 2005.

G1. 2017. Irmão de Suzane von Richthofen é internado em ala psiquiátrica de hospital em SP. Disponível em: <http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/irmao-de-suzane-von-richthofen-e-internado-em-ala-psiquiatrica-de-hospital-em-sp.ghtml>. Acesso em: 01 jun. 2017.

GANDA, Claudio; SAYEG, Ricardo; GUERRA FILHO, Willis S. (Org.). Estudos do imaginário jurídico. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2016. v. 1.

GUERRA FILHO, Willis S.; CARNIO, Henrique G. Teoria da ciência jurídica. São Paulo: Saraiva, 2000

GUERRA FILHO, Willis S; CANTARINI, Paola. Teoria poética do direito. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2014.

KAFKA, Franz. O processo. Trad. de Marcelo Backes. Porto Alegre: L&PM, 2007.

KAFKA, Franz. O processo. Trad. de Modesto Carone. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

KIERKEGAARD, Sören A. La época presente. Trad. de Manfred Svensson. Madrid: Mínima Trotta, 2012.

KRUEGER, Paul; MOMMSEN, Theodor; SCHOELL, Rudolf; KROLL, Wilhelm. Corpus juris civilis. Berlim: Weidmann, 1889. Disponível em: <https://archive.org/details/corpusjuriscivil01krueuoft>. Acesso em: 10 nov. 2017.

LAKATOS, Eva; MARCONI, Maria. Fundamentos da metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2003.

OST, François. O tempo do direito. Trad. de Élcio Fernandes. Bauru: Edusc, 2005.

OST, François. El reflejo del derecho en la literatura. Doxa: Cuadernos de la Filosofía del Derecho, Alicante, v. 29, 2006, p. 334-348.

PIETROFONTE, Antônio. O discurso jurídico através do discurso poético. Em Tempo, Marília, n. 4, 2002, p. 24-33.

PORTAL BRASIL. 2015. Dilma lamenta morte de Galeano: "continuamos caminhando com os olhos no horizonte, na nossa utopia”. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/governo/2015/04/dilma-lamenta-morte-de-galeano-continuamos-caminhando-com-os-olhos-no-horizonte-na-nossa-utopia201d>. Acesso em: 10 nov. 2017.

TELEGRAPH, THE. 20 incredible things you didn't know about North Korea. Disponível em: <http://www.telegraph.co.uk/travel/destinations/asia/north-korea/galleries/what-you-didn-t-know-about-north-korea/there-s-a-three-generations-of-punishment-rule/>. Acesso em: 13 out. 2017.

YAMAMOTO, Tsunetomo. Hagakure: Book of the Samurai. 2. ed. 2005. Disponível em: <https://archive.org/stream/pdfy-W91d_RoynCCibBAf/Hagakure%20[Book%20Of%20The%20Samurai]#page/n137/mode/2up>. Acesso em: 6 nov. 2017.

Publicado

2017-12-30

Como Citar

YAMAUCHI, D. A.; CASTANHA, R. F. da C. Direito, justiça e mito: uma leitura a partir de “O processo”, de F. Kafka. ANAMORPHOSIS - Revista Internacional de Direito e Literatura, Porto Alegre, v. 3, n. 2, p. 437–464, 2017. DOI: 10.21119/anamps.32.437-464. Disponível em: https://periodicos.rdl.org.br/anamps/article/view/323. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos